quarta-feira, 15 de junho de 2011

Você Acredita Que Pode Resolver ?

     Certos momentos são complexos demais para nós humanos, situações que escapam do entendimento lógico e fogem da nossa capacidade individual de controlar os acontecimentos da vida. Devemos acreditar que tudo vai ter um final feliz e que vai ser como a gente quer? Misturar religião e razão no sentido mais amplo que as duas palavras possuem é uma boa ideia? Seria assim uma busca incansável de paz de espírito "plástica" ?

    Alguns defendem a ideia de que basta ser feliz e não interessa a razão da crença. Devo concordar, mas essa afirmação anterior é de uma "simplicidade" que chega a ranger os dentes. Todavia, a razão deste texto em si, é falar um pouco sobre o nosso descontrole, não aquele psicológico, mas aquele referente as nossas possibilidades diárias e como isso deve refletir em nossa tranquilidade.
    Desconsiderando algumas personalidades confusas, em regra, as pessoas buscam controlar seus atos e vontades, sempre com o fim de satisfazer seus sonhos e interesses, manter as dificuldades sob controle e diminuir os reflexos que as mudanças podem trazer em suas vidas. A aversão aos temidos novos compromissos que as mudanças criam, fazem com que poucos busquem o caráter itinerante da vida, é uma realidade humana, seja na mais simples até a mais complexa alteração de "status", o desconforto pessoal é evidente.
    O problema objeto em questão, está quando determinadas situações se impõem além de nossos poderes, como convencer outro alguém da importância de estudar, aceitar a perda de um familiar ou mesmo justificar os problemas de um país, processo, ou pessoa, coisas como: burocracia, corrupção, ignorância, avareza, paixão, singularidade, preconceito racial, fanatismo religioso, relação familiar...enfim, entender como as coisas são e como elas acontecem.
    São todos esses e milhares de outros, os elementos que sugerem a nossa apenas passagem nesse mundo, a nossa pequena capacidade de controlar os elementos de relação, é a chamada angústia do homem. Com toda certeza, alguns destes elementos são determinantes para o desenvolvimento humano e sem eles talvez não seria possível nem mesmo esclarecer os acontecimentos mais singelos da natureza, fato constatado, fica em pauta, o que fazer diante do descontrole supramencionado.

    Então agora passamos para a fase de buscar o esgotamento do assunto e resolver esse dilema, o que entendo, ser, perfeitamente improvável. Afinal, quando as pessoas colocam obstáculos ao curso natural dos acontecimentos e conseguem, mesmo que por um determinado tempo, controlar os elementos de relação, a proporção de ineficácia que este comportamento vai gerar é maior que a chance de sucesso.
    Fica por racional verificar que não se pode fazer "nada" quanto algumas situações. Nada? Sim isso mesmo. Justamente se o interesse é o da tranquilidade e paz de espiríto, certas situações que por demais são complexas, despendem mais gasto de energia para resolver o problema, do que deixar acontecer, e depois [aparar as arestas] buscar uma solução para o conflito.
     Concluindo a questão, sem esgotar as circunstâncias do assunto, posso dizer que aquele problema que está além de nossas possibilidades, deve ser encarado com calma, prudência e paz, o caminho é buscar ajuda de alguém mais experiente e capaz, sendo importante também a necessidade, quando a situação permitir, do "deixar acontecer" - algumas coisas não podem ser resolvidas de forma antecipada - sejamos tranquilos, com paz e amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário