terça-feira, 25 de novembro de 2014

A Revolução dos Bichos: um sonho de sociedade.

Um Sonho de Sociedade

O livro A Revolução dos Bichos (George Orwell) estabelece um paradigma da realidade histórica da sociedade. Embora a obra apresente ricos detalhes relacionados à estrutura literária de uma fábula, o que pode ser considerado o principal ponto positivo da obra é sua consistente crítica ao sonho de uma sociedade igual.
Nesse sentido, animais que vivem em uma granja e que ao longo do tempo desenvolvem habilidades suficientes para racionalizar coletivamente, escrever, cooperar e até mesmo desejar uma vida com menos sacrifícios, faz do livro uma ótima sátira de nossas vidas, onde fica fácil perceber a relação da história do livro com as sociedades capitalistas, socialistas e comunistas. 
Com efeito, os personagens animais, por exemplo, porcos, cavalos, cachorros e galinhas, estão constituídos de uma personalidade definitivamente humana o que agrega ainda mais valor ao livro, provocando um contraste seguro com a realidade em que vivemos, com os argumentos que escutamos todos os dias, com o egoísmo e incompreensão.


Além disso, a ênfase da obra se dá no esforço dos animais em construírem uma sociedade estruturada em igualdade, trabalho, paz e qualidade de vida. Isso tudo sempre foi o maior desafio das sociedades modernas, talvez até mesmo uma utopia. Mas será que a utopia não é algo que nos faz seguir em frente e continuar a viver?
Ademais, o contexto do livro é surpreendente, sendo ou não um relato fiel do comportamento humano, fica impossível que um trabalhador assalariado não se identifique com a vida dos animais, quando o narrador comenta: “Sabiam que a vida estava difícil, cheia de privações, que andavam constantemente com frio e com fome e trabalhando sempre que não estavam dormindo”. (ORWELL, 2000, p. 94).
Assim, por ser um texto curto que não perde sua magia literária, mesmo abordando um assunto complexo, tem sua leitura um elemento fundamental na formação intuitiva de qualquer leitor, despertando certamente uma questionável mudança em nosso comportamento e em nossas convicções sobre passado, presente e futuro da sociedade.